/
Menu

Definida nova tarifa do transporte coletivo

11 de setembro de 2018 | 17:31

Conforme decreto assinado pela prefeita Paula Mascarenhas, nesta sexta-feira (9), referente à contratualização entre Prefeitura e Consórcio do Transporte Coletivo de Pelotas (CTCP), entra em vigor, a partir da 0h do domingo (11), o novo valor da tarifa dos ônibus: R$ 3,70. O preço é um dos menores entre as principais cidades do Estado.

Os custos com a concessão do serviço de transporte coletivo foram recalculados, tendo por base indicadores econômicos, como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI). A novidade de 2018 foi a inclusão do fator de equalização sobre 1% do faturamento bruto do CTCP, originando um fundo que dará o subsídio para o Poder Público garantir a unificação da tarifa com a zona rural, atendendo a todos os pelotenses com a mesma qualidade do serviço e pelo mesmo valor, visando ao interesse público.

O reajuste é necessário para a manutenção do sistema, ressaltou a prefeita. "Acreditamos no transporte coletivo e temos investido nele, com a ampliação dos corredores de ônibus e a criação do consórcio. Precisamos garantir a sustentabilidade do transporte público para que ele não se precarize e que possamos continuar a atender todas as pessoas", disse Paula. 

Mesmo com o reajuste, a passagem em Pelotas segue como um das mais baratas do Rio Grande do Sul, em comparação às principais cidades do Estado. Nos demais locais, as tarifas ainda serão recalculadas e devem subir, inclusive, aumentando a diferença em relação ao valor pago no Município.

A passagem no transporte seletivo passa a valer R$ 5,20, e o desconto para estudantes no transporte convencional fica fixado em R$ 1,48 – equivalente a 40% do total. A integração tarifaria continua em vigor, possibilitando que os usuários andem em dois trechos de deslocamento (contínuos) pagando somente uma vez, no intervalo de até 60 minutos. De acordo com o contrato, a revisão da tarifa deve ser efetuada anualmente, no mês de novembro, e influencia no pagamento de funcionários, lubrificantes, pneus e diesel; este último foi o item que mais influenciou no aumento, com variação de 16%.

Melhorias após a implementação do consórcio: